Responsabilidade Social, Mecenato e Educação

O Banco Finantia quer contribuir para um mundo melhor. Acreditamos que podemos mudar a vida das pessoas através de comportamentos de ajuda e de incentivo.

RESPONSABILIDADE SOCIAL

No âmbito da responsabilidade social, o Banco Finantia manteve o seu apoio a acções específicas de solidariedade social destinadas a crianças e jovens desfavorecidos e/ou com necessidades educativas especiais. Sendo assim, os apoios têm sido dirigidos para:

– A “APSA – Associação Portuguesa do Síndrome de Asperger
Quarenta mil crianças e jovens portugueses têm síndrome de Asperger, uma perturbação do desenvolvimento que causa problemas de adaptação social e escolar que na adolescência podem levar ao abandono escolar. Fundada em 2003, a principal razão de ser da APSA é ajudar os jovens, com esta perturbação neurocomportamental, a desenvolver uma vida mais autónoma e de melhor qualidade. Um dos projetos da APSA, é a Casa Grande, que se destina a jovens a partir dos 16 anos. Pretende ser um espaço de formação, de treino de competências sociais e funcionais, tendo em vista a sua autonomia e inserção na vida ativa e no mundo do trabalho.

– A “Raríssimas”: associação de ajuda a pessoas portadoras de doenças raras.
Por definição o que é raro, raramente acontece. Porém, em Portugal existem cerca de 800 mil portadores de doenças raras e várias centenas de doentes por diagnosticar. É neste contexto de necessidade e ao mesmo tempo de desconhecimento que surgiu a Raríssimas em 2002. Esta associação tem como principal missão apoiar doentes, família e amigos que vivem de perto com as doenças raras.

– A “Liga dos Amigos do Hospital S. João do Porto”: associação de apoio a crianças e idosos carenciados em contexto de internamento;
O humanismo está sempre associado a uma certa dose de romantismo. Todavia para se ajudar de fato quem mais necessita, o romantismo por si só é insuficiente. O humanismo eficaz é aquele que contém em si um enorme pragmatismo. Foi assente nesta convicção que a Liga dos Amigos do Centro Hospitalar de São João nasceu a 20 de dezembro de 2006. O seu desígnio mantém-se o mesmo desde de então: ajudar os doentes portadores de deficiências, os doentes de 1ª e 3ª idades que evidenciem carências significativas de ordem social, material e afetiva, cujo acompanhamento (dentro ou fora do Hospital de S. João) deva merecer mais atenção e cuidados especiais.

– O “Banco do Bebé”: associação de ajuda às famílias carenciadas dos bebés que nascem na Maternidade Alfredo da Costa;
Infelizmente continuam a existir muitas crianças até aos 6 anos que, por dificuldades económicas e sociais das suas famílias, não conseguem satisfazer as suas necessidades básicas. Encontrar soluções concretas para este tipo de situações é fundamental. Foi com este objetivo que em 1991 o Banco do Bebé iniciou as suas funções, tendo por prioridade essencial assegurar as condições emocionais e materiais para que todos os recém-nascidos e suas famílias tenham um início digno de vida. Esta Associação concretiza esta sua Missão de duas formas: a) fornecendo  bens essenciais necessários no início de vida até aos 6 anos de idade; b) capacitando as figuras parentais nos cuidados aos bebés desde que nascem.

MECENATO CULTURAL

O Banco é um mecenas ativo do Palácio Nacional da Ajuda desde 1997 e orgulha-se de ser membro fundador da Fundação de Serralves (1995) onde tem patrocinado diversos programas culturais e sociais.

 

EDUCAÇÃO

Há vários anos que o Banco Finantia colabora com o ISEG – Instituto Superior de Economia e Gestão da Universidade Técnica de Lisboa, atribuindo um prémio ao melhor aluno do primeiro ano do Mestrado em “Economia Internacional e Estudos Europeus”. O Banco é também membro fundador da ”Fundação Económicas – Fundação para o Desenvolvimento das Ciências Económicas, Financeiras e Empresariais”.

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site, está a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre o uso de cookies.